Parques Florestais de Minas Gerais

O território de Minas Gerais abriga sete parques florestais nacionais e 14 estaduais, além de florestas nacionais e áreas de preservação ambiental (APAs).

Seis parques estaduais estão abertos à visitação: Itacolomi, Rola-Moça, Rio Doce, Ibitipoca, Nova Baden e Rio Preto. Também estão abertos ao público os parques nacionais da Serra da Canastra, Itatiaia, Caparaó e Serra do Cipó.

Itacolomi


O Parque Estadual do Itacolomi, a 110 quilômetros de Belo Horizonte, nas proximidades de Ouro Preto, foi criado em junho de 1967. Por cinco anos esteve fechado à visitação pública. Em 30/4/2004, o governo estadual reabriu o parque ao público.
Com 7.500 hectares de área tem como principal destaque o pico do Itacolomi, com 1.700 metros de altura, do qual é possível se avistar Ouro Preto, Mariana e a região em volta.
Outra atração é a Casa Bandeirista, transformada em museu. O imóvel, construído entre 1706 e 1708, é considerado o primeiro prédio público do Estado.
O parque abriga áreas remanescentes da mata Atlântica, com presença de quaresmeiras, bromélias, orquídeas e canelas-de-ema. Animais ameaçados de extinção, como a onça parda, o lobo-guará e o tamanduá-mirim habitam o parque, ao lado de uma enorme variedade de aves.

Rola-Moça


Criado em 27/9/1994, o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça tem seu nome ligado ao escritor Mário de Andrade em um poema que relata a história de um casal que, logo após a cerimônia de casamento, cruzava a serra de volta para casa quando o cavalo da moça escorregou no cascalho e caiu no fundo do grotão. O marido, desesperado, esporeou seu cavalo ribanceira abaixo e “a Serra do Rola-Moça, Rola-Moça se chamou”.
O parque possui vegetação diversificada onde são encontrados ipê, cambuí, aroeira branca, xaxim, canela, unha-de-vaca, pau d’óleo, cedro, cambotá, jacarandá do cerrado, murici, entre outras.
O local também é habitat de animais ameaçados de extinção como a onça parda, jaguatirica, gato mourisco, lobo-guará, raposa, quati, irara, lontra, tamanduá-de-colete, caititu, veado catingueiro e veado campeiro.

Rio Doce


O Parque Estadual do Rio Doce foi criado em 14/7/1944 e é a primeira unidade de conservação estadual de Minas Gerais. Possui 40 lagoas naturais, que proporcionam um espetáculo de rara beleza.
No local é possível encontrar aves como o beija-flor besourinho, chauá, jacu-açu, saíra, anumará etc. Animais ameaçadas de extinção como a onça pintada, o macuco e o mono-carvoeiro, maior macaco das Américas, também habitam a área.

Ibitipoca


O Parque do Ibitipoca, localizado nos municípios de Lima Duarte e Conceição do Ibitipoca, na serra da Mantiqueira, é um dos mais procurados pelos ecoturistas, devido à sua localização estratégica e cenários exuberantes.
Nele, o visitante pode percorrer trilhas a pé, passando por mirantes, grutas, praias, piscinas naturais, cachoeiras e picos. A 1.784 metros de altitude, o pico do Ibitipoca oferece uma vista panorâmica inigualável.
A fauna do parque possui espécies como a onça parda, lobo guará, macaco barbado, sauá e sagüi, papagaio do peito roxo, coati e andorinhão-de-coleira falha, entre outros.
A flora é outra atração, com espécies como orquídeas, bromélias, candeias, líquens e samambaias. O parque possui área de camping para os visitantes.

Nova Baden


O parque estadual de Nova Baden fica na região de Lambari, Sul de Minas. A área é protegida desde 1974, com a criação da reserva biológica de Nova Baden, transformada em parque em 27/9/1994. Recebeu esse nome em homenagem à cidade natal de Américo Werneck, um pioneiro em questões ambientais.
De origem alemã, ele se instalou na região para desenvolver um projeto de fruticultura em sua propriedade, a fazenda Pinheiros, e implementou várias ações de aproveitamento racional das estâncias hidrominerais e o projeto do cassino de Lambari.
Nova Baden abriga espécies vegetais como o jequitibá, cedro, peroba, palmito, jacarandá, pinheiro brasileiro, cedro e outras e é uma importante reserva de espécies de mamíferos, aves e anfíbios.

Serra da Canastra


O Parque Nacional da Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas, Sul do estado, abriga a nascente do rio São Francisco.
O parque é aberto à visitação, mas não tem área de camping, apenas áreas de lazer para piqueniques,e banhos de cachoeira e trilhas que podem ser percorridas a pé ou de bicicleta.
As maiores atrações são a nascente do rio São Francisco e as partes alta e baixa da cachoeira Casca D’anta. Nesse cenário é possível observar espécies como a canela de ema, arnica e arnica-do-campo.
No parque, há animais ameaçados de extinção como o lobo-guará, o tatu canastra, tamanduá bandeira e o pato mergulhão.

Serra do Cipó


O Parque Nacional da Serra do Cipó, nos municípios de Santana do Riacho, Jaboticatubas e Conceição do Mato Dentro, é muito visitado em razão de suas cachoeiras, rios, canyons, vegetação exuberante, paredões para prática de alpinismo, cavernas e trilhas para prática de mountain biking e caminhada.
As áreas mais visitadas são a cachoeira da Farofa e o canyon das Bandeirinhas. O parque não possui área de camping, mas em seu entorno podem ser encontradas várias áreas de camping, pousadas e hotéis.

 

Caparaó


O Parque Nacional do Caparaó, na divisa de Minas Gerais com o Espírito Santo, possui área de 31.853 ha. Abriga o terceiro pico mais alto do País, o pico da Bandeira e outros picos menores.
O local recebe mais de 30 mil visitantes por ano, interessados em desfrutar o contato com a natureza e práticas esportivas como caminhadas em trilhas, montanhismo e observação de aves.
A fauna conta com pequenos animais como o gambá, tapeti, paca, caxinguelê, cachorro-do-mato, irara, guaxinim e gato do mato. Entre os pássaros são encontrados o inhambu-chitã, gavião carijó, beija-flores e siriemas.
A área é cortada por inúmeros rios de pequeno e médio porte. Possui muitas corredeiras e cachoeiras de rara beleza.

Itatiaia


Localizado na divisa de Minas com o Rio de Janeiro, na serra da Mantiqueira, o Parque Nacional do Itatiaia foi o primeiro parque nacional criado no Brasil, em 14/6/1937. Possui área de 30 mil hectares e recebe cerca de 100 mil visitantes por ano.
Entre as muitas atrações do parque, um dos destaques é o lago Azul, ótimo local para banho de cachoeiras, dotado de quiosques com churrasqueiras. O visitante ainda pode conhecer a cachoeira Poranga, a cachoeira Itaporani e o Véu da Noiva.
O pico das Agulhas Negras, com 2.787 metros, é o sétimo pico mais alto do País. Os montanhistas também podem subir até o Abrigo Rebouças, a 2.540 metros de altitude.
A fauna da região tem entre seus destaques a onça, a suçuarana, o lobo-guará, a harpia e a jacutinga. Há muitos répteis e tartarugas.

Fonte: http://www.topgyn.com.br

Colaboração: Antônio Carlos
About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s